A 1ª Câmara Especializada Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba determinou que uma empresa rodoviária deve pagar R$ 30 mil em indenização por danos morais a uma passageira que ficou presa na porta do ônibus.

No processo, a mulher relatou que o motorista fechou a porta em seu corpo enquanto ela subia no ônibus. De acordo com a passageira, as suas mãos ficaram presas e o condutor deu partida no veículo, arrastando-lhe por alguns metros. A mulher ainda alegou que, em decorrência do acidente, sofreu lesões graves na mão esquerda. O homem foi processado criminalmente pela conduta, sendo reconhecida sua culpa.

Em primeiro grau, a empresa de ônibus de ônibus foi condenada a pagar R$ 10 mil em indenização por danos morais. A mulher e a empresa entraram com recursos,

Na decisão, o relator, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, considerou que o recurso “apenas suplica a redução e compensação da indenização”. Dessa forma, destacou que “inexiste irresignação quanto à existência de responsabilidade da empresa de ônibus pelo acidente”.

Então, o desembargador entendeu que “observa-se que o prejuízo fora de uma proporção desmedida, uma vez que a ação trata de uma pessoa que por negligência do motorista ao fechar a porta em seu corpo, sofreu inúmeras lesões corporais”.

Fonte: Migalhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *